segunda-feira, 21 de maio de 2012

Empresários de Redenção envolvidos em esquema de corrrupcção em Maceio


A notícia do envolvimento dos empresários Moises Carvalho Pereira, Antonio Lucena Barros, popularmente conhecido por ´´Maranhense´´    e Sidnei Guimarães Pena, no escândalo que resultou na prisão de nove vereadores e o prefeito da cidade de Rio Largo, Antonio Lins Souza Filho,  gestor do município localizado a cerca de 25 km da cidade de Maceió, caiu como uma bomba no meio empresarial e político Redenção.  De acordo com informações publicada no  site  Tudo na Hora de Maceio, os empresários estão envolvidos em um esquema de corrupção que envolve o prefeito da cidade de Rio Claro e nove vereadores. Os empresário que atuam no ramo imobiliário de loteamento, teriam participado de esquema para comprar uma área de terra, onde funcionava a Usina Utinga Leão, localizada em uma área  252 hectares, a Usina Utinga Leão, estava em processo de falência.  O valor da desapropriação da área seria de R$ 700 mil, mas uma avaliação determinada pelo Ministério Publico de Maceió , constatou que o imóvel estaria avaliado em R$ 21 milhões.
Conforme investigações do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) - que começaram após denúncia da TV Pajuçara, afiliada da Rede Record no estado - o prefeito encaminhou à Câmara dos Vereadores da cidade projeto de lei para adquirir uma área de 252 hectares, da Usina Utinga Leão, em processo de falência, para a construção de casas populares. O valor da desapropriação da área seria de R$ 700 mil - a serem pagos à usina.
A Câmara autorizou a operação, mas, as casas não foram construídas. Assim, o prefeito encaminhou novo projeto à Câmara, desta vez pedindo autorização para vender o terreno a uma empresa comercial, pelos mesmos R$ 700 mil. Os empresário de Redenção, aparecem integrantes do grupo empresarial que adquiriu o imóvel.
Quem é quem
Os dezoito acusados pelo Gecoc, na denúncia de 28 páginas (fora os anexos com documentos que comprovam as acusações) são sete empresários (quatro deles de fora de Alagoas, sendo três do Pará e um de Goiás), um engenheiro a serviço da Prefeitura e todos os dez vereadores de Rio Largo. São eles:
Moisés Carvalho Pereira, residente em Redenção (PA), diretor da Buriti Imóveis e sócio administrador da MSL Empreendimentos Imobiliários;
Luiz Pereira Martins, residente em Goiânia (GO), diretor da Agropecuária Umuarama, sócio administrador da MSL;
Marcelo Pereira Lessa, residente num condomínio de luxo à beira-mar da Jatiúca, também sócio administrador da MSL;
Antônio Lucena Barros, residente em Redenção (PA), também sócio administrador da MSL, instalada na Fazenda Thormes de Pratagimirim, zona rural de Rio Largo;
Sidney Guimarães Pena, residente em Redenção (PA), administrador da MSL;
José Paulo Cavalcante Neto, diretor e representante legal da S/A Leão Irmãos Açúcar e Álcool, em Utinga;
Jorge Octaviano Ferreira Dubeux, também diretor e representante legal da Usina Utinga Leão;
Osair Tavares Silva Júnior, engenheiro, residente na Av. Robert Kennedy, na beira-mar da Ponta Verde;
No último final de semana, a notícia do envolvimento dos empresários de Redenção, no suposto esquema de corrupção,  se espalhou nas redes sociais, onde vários políticos, fizeram questão de espalhar a notícia, devido os  empresários serem  os principais articuladores da candidatura do também empresário Carlo Iavé, a prefeitura de Redenção, onde Moises Carvalho, atua como um dos integrantes do PMDB de Redenção.




Em Redenção os comentários são os de que os três empresários de Redenção,   citados na matéria estariam fora do país.     

Nenhum comentário:

Postar um comentário